COMO IMPLEMENTAR GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS NA PRÁTICA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Quem perde sem plano certo para gerir os resíduos sólidos urbanos? Lixo, problema ou solução? O que é Gestão Sustentável de Resíduos Urbanos? Porque a gestão sustentável de resíduos sofre interferências dos centralizadores de riquezas? Como um profissional em Gerenciamento de Resíduos pode mudar a realidade social ?

De antemão, vale frisar que a destinação ambientalmente adequada dos resíduos, é o maior problema urbano de muitas cidades no planeta. Isto porque vivemos uma crise ambiental, por conta do lixo e os impactos por ele causados.

Diante disso, existe uma busca imensa por soluções para este problema. Existe inclusive, um pacto internacional que determina que as soluções sejam sustentáveis.

Quando falamos de desenvolvimento sustentável, falamos de estratégias que unem o econômico e o social a partir de ações ambientalmente corretas. É exatamente aqui que se faz fundamental o profissional em gerenciamento de resíduos sólidos

É este profissional quem vai definir o desenrolar de toda a cadeia produtiva que pode ser gerada a partir da gestão e gerenciamento de resíduos. Ou não. 

Uma vez à frente de um projeto para gerenciamento de resíduos, este especialista precisa fazer a coisa certa. Para isso, precisa mais que formação técnica, precisa ter visão empreendedora. Caso contrário, vai contribuir para encerrar um setor que gera empregos, renda e garante a sobrevivência de milhões de famílias.

Quem perde sem o plano certo para gerir os resíduos sólidos urbanos?

Sem dúvida alguma, todos perdem! A falta de Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos, penaliza toda a sociedade, inclusive legalmente. Para esclarecer o “legalmente”:

  • Em 08 de Agosto de 2010, foi sancionada a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Esta Lei, a 12.305/2010, torna obrigatório a destinação e disposição final ambientalmente adequada para resíduos sólidos. Também dita os meios para esta  destinação e disposição ambientalmente adequada. Assim como estabelece as responsabilidades de gestores públicos, empresas e população.

Se não fosse muito importante fazer a gestão sustentável do lixo em todas as escalas de produção, certamente não seria Lei. A 12.305/2010, trata da questão de saneamento de forma extremamente abrangente e detalhada, vale a pena ler.  

Assim sendo, vamos para algumas questões que quando falamos de gerenciamento de resíduos, não relacionamos de imediato

É através da gestão de resíduos que temos o tratamento da rede de esgoto, por exemplo. Se a cidade ainda tem plano de gestão de resíduos, a saúde da população e o meio ambiente  estão em risco. Se os prefeitos não cobram das indústrias o gerenciamento de seus resíduos, perigosos ou não, a situação também é a mesma.

A falta de gestão dos resíduos sólidos urbanos, transforma a vida nas cidades em situação de elevado risco.

Tudo isto sem falar no desperdício de matéria-prima, de dinheiro, de energia e recursos naturais, entre outros. Fora os empregos que deixam de existir. Ou seja, da elite ao catador, todos são prejudicados.

Ficou claro que o plano de gestão e gerenciamento de resíduos é determinante para a qualidade de vida nos municípios? Que a falta deste afeta a todos, inclusive os mais vulneráveis? Existe progresso em uma sociedade onde meia dúzia vivem e o restante sobrevive?

Lixo, problema ou solução?

Vai depender do ponto de vista. Para quem (municípios e empresários) está com Ministério Público no calcanhar aplicando multas pesadas, o lixo é um problemão! Para quem vive do lixo e vê seu município a um passo de implantar a incineração, também é um grande problema.

Veja que situação: De um lado o município buscando soluções rápidas; De outro lado, catadores lutando para não perder seu único meio de sobrevivência. Para entender o desespero destes trabalhadores, tente imaginar se todas as prefeituras implantarem usinas de incineração? Não haverá resíduo para comercialização.

Milhões de famílias criam seus filhos com o dinheiro que conseguem coletando e comercializando resíduos, com a incineração, todas estas pessoas perderão sua renda. Milhões de famílias criam seus filhos com o dinheiro que conseguem coletando e comercializando resíduos, com a incineração, todas estas pessoas perderão sua renda.

Soluções rápidas, com ar de mágica, podem ser bem atraentes, porém, o custo é altíssimo, tanto econômica quanto socialmente falando. Já parou para pensar quantas pessoas vivem do comércio de recicláveis?

Pois bem, todos estes vão perder a única fonte de renda se os resíduos forem incinerados. A indústria também vai pagar caro. Sem a reciclagem, terá que gastar com a extração de matéria-prima da natureza. O meio ambiente será ainda mais degradado e não sobrarão recursos naturais para garantir a sobrevivência das futuras gerações.

Por isso, na hora de traçar um plano diretor para o gerenciamento de resíduos sólidos urbanos, o gestor público precisa pensar bem. E para os políticos que não consideram os mais vulneráveis, fica a dica: é na linha da pobreza e da miséria que se concentra o maior colégio eleitoral.

O Que é Gestão Sustentável de Resíduos Urbanos?

Primeiramente, gestão e gerenciamento de resíduos com soluções sustentáveis, é devolver os descartes do consumo ao ciclo produtivo. Por esta via, preservam-se os recursos naturais e garante a transformação do problema dos resíduos em potencial econômico.

Para isso, um profissional qualificado, é quem aponta os caminhos viáveis para a disposição final dos resíduos. Por meio do estudo gravimétrico, é possível levantar a quantidade e natureza dos resíduos gerados em cada localidade. 

A partir desses dados é desenvolvido um projeto de gestão e gerenciamento dos resíduos sólidos conforme a realidade de cada cidade. Mas em síntese o formato de gestão sustentável é a mesma. Observe a imagem abaixo:

Neste organograma, os incineradores só teriam utilidade para resíduos da saúde (hospitais, postos, upas, etc) e outros resíduos perigosos. 

Aqui, verifica-se o quanto um profissional com visão empreendedora na elaboração do plano de gerenciamento de resíduos é importante.  Pois é ele quem vai delinear meios de gerar emprego e renda através do gerenciamento de resíduos. Para isto, vai indicar os empreendimentos que devem compor o processo como:

Você consegue calcular o quanto o gerenciamento de resíduos sólidos é lucrativo para a sociedade? Resolver o problema do lixo com gestão sustentável é isto: Transformar o que é descartado em dinheiro. Dessa forma, alimenta-se toda uma cadeia produtiva, onde o resíduo volta para indústria e vira matéria-prima

Com este processo, é possível melhorar a vida de milhões de pessoas que vivem da coleta de recicláveis. Estimulando os setores deste mercado, implementa-se o desenvolvimento sustentável, reduzindo impactos ambientais, distribuindo renda e promovendo justiça social.

Porque a gestão sustentável de resíduos sofre interferências dos centralizadores de riquezas?

Infelizmente ainda existe o pensamento de monopólio das riquezas. Esta “velha guarda”, infiltra-se sutilmente no processo de gestão e gerenciamento de resíduos. Afobados em manter o monopólio do capitalismo, vivem embutindo suas alternativas para ruir o processo da sustentabilidade. 

Essas pessoas negam o fato que a crise ambiental  é o começo do fim, para ricos e pobres sem distinção. Tentam de todas as formas impedir que a promoção social se estabeleça.

Um exemplo dessa infiltração  está no EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 1, de 17 de abril de 2021 do Estado de Minas Gerais. 

Disfarçadamente este edital admite o uso de incineradores para resolver os problemas com resíduos. Sob o pretexto de que geram energia térmica,  fecharam os ouvidos para os catadores organizados, que clamam por incentivo à reciclagem.

O grupo empresarial que defende a incineração, não se importa com o que vai acontecer com as famílias dos catadores. Também não querem que este trabalhador se torne bem sucedido no setor da reciclagem

Assim, camuflam os contras, que diga-se de passagem que são muitos, quando falamos dessa tecnologia da incineração. Agora com a crise no setor energético, por estagnação dos recursos hídricos, estão fortalecendo a ideia de queimar o lixo.

Pois se  apoiam no argumento de gerar a caríssima energia térmica queimando resíduos sólidos urbanos. Vejam o caos instalando-se: se a energia térmica é mais cara, sem renda, quem vive dos recicláveis, será vetado também do direito à luz

Assim, alimentamos o aumento da desigualdade. Ao passo que retiramos direitos constitucionais de milhões de cidadãos. Também condenamos à mais extrema pobreza esses trabalhadores que vivem invisíveis à sociedade e aos gestores públicos.

Polêmica: Entrevista com Felipe

Recebemos o Felipe para falar mais sobre Gestão de Resíduos em Minas Gerais. Entre as polêmicas está o  EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 1, de 17 de abril de 2021 que prevê o uso de RSU como combustível para usinas térmicas. Veja a entrevista completa clicando no link. https://youtu.be/u900XIxEtd4

Como um profissional em Gerenciamento de Resíduos pode mudar a realidade social ?

Em se tratando de legislação,  tanto europeia quanto a brasileira abrem um mercado gigantesco para profissionais da área ambiental com visão empreendedora. Como dito, não basta ser apenas técnico e saber elaborar um projeto no papel.

Os profissionais da área ambiental que o mercado precisa, têm que desenvolver competências específicas:

  • iniciativa para pesquisas.
  • Precisam estudar o mercado de forma estratégica,
  • Saber identificar potenciais negócios e convidar todas as possíveis partes interessadas para o fechamento dos projetos.

É este profissional quem vai realizar os projetos! Mesmo que não tenha capital para investir. Mesmo sem apoio do gestor público local, mesmo sem conhecer pessoas influentes, vai realizar projetos sustentáveis. 

Ainda que conte apenas com sua capacidade, sabendo identificar oportunidades vai  articular as potenciais parcerias. Os profissionais da área de gerenciamento de resíduos precisam entender sobre a regulamentação do mercado.  Ao mesmo tempo que reconhecem a viabilidade técnica e econômica de cada projeto.

Por fim, este profissional ambiental em gerenciamento de resíduos sólidos,  tem o poder de transformar lixo em uma solução econômica e socioambiental.  Sem mágicas ou fakes, mas usando seu trabalho para algo além que criar documentos. 

O meio ambiente e a economia global, anseiam por profissionais competentes para fazer a engrenagem da sustentabilidade se movimentar. Portanto, é preciso empreender projetos que otimizem o processo da economia circular.

Se a gestão pública não tiver recursos para investir nas soluções,  o consultor que apresentar um caminho, sai na frente neste mercado. Se você quer ser este profissional, qualifique-se e venha escrever uma nova história. 

O Virapuru Training Center é a única instituição em língua portuguesa.  Aqui os profissionais da área ambiental, desenvolvem a visão empreendedora para dar soluções através do mercado de resíduos sólidos. Clique aqui e venha conhecer o que o Virapuru tem para você.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Deixe um comentário

Entre para nossa
lista de contatos

loading...

Mais Virapuru

trabalhar com sucatas pode ser de duas formas: com sucesso sabendo o que está fazendo e conhecendo o mercado, ou fadado ao fracasso, sem conhecimento, sem informação
+OPORTUNIDADES

COMO TRABALHAR COM SUCATAS

Quais as formas de trabalhar com sucata? O que é preciso para trabalhar com sucata? Existe curso que ensina como funciona este mercado? O que você

Continue Lendo »