COMO O EX PREFEITO PAULO DÁLIA ELIMINOU OS LIXÕES A CÉU ABERTO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Como o Brasil lida com o problema do lixo? Como Paulo Dália, enfrentou o desafio de saneamento de sua cidade? O que é a lei do lixo? O que acontece em um município, quando o gestor público abraça a responsabilidade de fazer o certo? Como funciona o projeto de gestão integrada? Quem pode ser um empreendedor da sustentabilidade e ganhar dinheiro salvando o planeta?

Infelizmente, o que fazer com o lixo, ainda é um desafio que muitos evitam enfrentar. Dessa forma, o problema do lixo e seu impacto ambiental, cai no descaso. Porém, encontrar as melhores soluções para eliminar lixões a céu aberto, é de extrema urgência. Essa falta de gerenciamento correto dos resíduos significa agravamento da situação ambiental e dolorosas consequências para a sociedade.

Além da miséria e doenças oriundas dos lixões, muitos outros problemas são causados pelo descarte errado dos resíduos sólidos.

Imagine se desde o começo, houvesse produção e consumo consciente? Se as empresas, lá na revolução industrial, já trabalhassem com reaproveitamento dos seus resíduos? Se as pessoas tivessem o hábito de separar seu lixo? Se a política pública fosse de preservação? O mínimo que teria acontecido seria a redução dos problemas socioambientais e econômicos que enfrentamos hoje.

Como o Brasil lida com o problema do lixo

No Brasil, grande parte dos municípios ainda não conseguiu erradicar os lixões a céu aberto. E mesmo nos aterros sanitários, o tratamento dos rejeitos não acontece como a lei exige.

Esperar que as pessoas acordem conscientes, fazendo “a sua parte”, como se despertadas de um transe, é utopia. Por sua vez, a gestão pública não vai conseguir resolver este problema sozinha .

A falta de preocupação e consciência de cada um, sobre o destino final dos resíduos, colocou o planeta em colapso. Alterações climáticas e estagnação de recursos naturais, são alguns dos efeitos colaterais. A falta de compromisso das pessoas, geralmente está associada ao pensamento que o governo é quem deve resolver estes problemas.

O ‘Estado’ é sim o detentor do poder de legislar, fiscalizar e punir, exercendo um papel fundamental neste processo. Porém, isso não isenta outras esferas sociais das responsabilidades sobre o lixo que todos produzimos.

Somente com o comprometimento coletivo, será possível parar este processo de degradação socioambiental.

Geralmente, nas cidades, os resíduos acabam misturados e compactados nos caminhões de coleta, contaminando materiais recicláveis.

Ou seja, o que poderia retornar ao ciclo produtivo, acaba descartado no aterro, levando anos para se decompor. Isso é um desperdício de matéria prima e das oportunidades de negócios que o lixo pode gerar.

No Interior da Paraíba, um prefeito saiu na contramão dos gestores. Encarou o desafio de erradicar os lixões a céu aberto. Correu atrás do prejuízo, se especializou e com soluções sustentáveis está mudando a realidade de sua cidade.

Acompanhe agora uma parte dessa história de Paulo Dália Teixeira, ex-prefeito de Juripiranga.

Como Paulo Dália, enfrentou o desafio de saneamento de sua cidade?

Imagine um prefeito recém eleito, pressionado pelo Ministério Público para resolver um problemão: acabar com lixão a céu aberto! Esta exigência, tinha prazo para ser cumprida e já no começo do mandato, esse era o maior de todos os desafios.

Engenheiro civil de formação, o então prefeito, Paulo Dália, com sua equipe de gestão precisava resolver o problema dos lixões. Definir qual o melhor plano para gerenciar corretamente os resíduos sólidos. De preferência, algo sustentável, com uma proposta diferente de enviar todo tipo de lixo para um aterro sanitário.

Até mesmo porque, segundo Paulo Dália, o aterro seria uma solução cara e paliativa. Pois o lixo de Juripiranga, teria que ser transportado por 74 km, para descarte no aterro de João Pessoa. Somando o custo do transporte dos resíduos à taxa do aterro, a despesa passaria de R$40.000,00/mês.

“…Eu não concordo com aterros sanitários. É como construir uma casa do telhado para fundação”. Argumenta o engenheiro.

“Precisamos fazer a boa política! Uma política realmente voltada para o bem da população. Precisamos respeitar os recursos públicos e utilizá-los com olhar social e ambiental”, afirma Paulo Dália.

Vi que era preciso buscar uma nova visão. Eu tinha um desafio e precisava me capacitar para encarar. Comecei pesquisando onde buscar informações que me ajudassem resolver da forma mais eficiente o descarte dos resíduos da nossa cidade.

Eu não tinha conhecimento para encarar um desafio desses. Assim como eu, outros colegas também prefeitos, não sabiam por onde seguir. Por isso fui buscar capacitação”. Explica Paulo.

Embora o mercado seja amplo, a falta de profissionais capacitados dificulta a implantação do PMRS, Plano Municipal de Resíduos Sólidos. A chamada lei do lixo determina as formas corretas de manejo dos resíduos dentro da Política Nacional de Resíduos Sólidos

O que é a lei do lixo?

A lei 12.305/2010, estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos, proíbe o despejo de lixo a céu aberto. Esta lei, também trata da responsabilidade de gestores públicos, sociedade e iniciativa privada no tratamento dos resíduos.

Bem como formaliza a coleta seletiva e estipula a separação dos resíduos conforme sua natureza. Inclui também a reutilização, reciclagem, compostagem, recuperação e o aproveitamento energético dos resíduos.

Seja por desinteresse ou falta de conhecimento, o fato é que a lei não é cumprida. Muitos não percebem as oportunidades que se encontram dentro da PNRS.

O que acontece em um município, quando o gestor público abraça a responsabilidade de fazer o certo?

O processo de erradicação de lixões exige qualificação. Pois é necessário estudos específicos e cumprimento de inúmeras normas legais com ampla documentação. A falta de técnicos especializados em soluções reais e sustentáveis foi outro problema. Diante das circunstâncias, Paulo foi à busca de meios para resolver o problema do“lixão”.

“Foi buscando a melhor solução que encontrei o Portal Resíduos Sólidos. Sem dúvidas isso foi o verdadeiro divisor de águas. Fiz os cursos CORE (Comércio de Recicláveis) e o GIRS (Gestão Internacional de Resíduos Sólidos).

Fiz também o PIGRS (Profissional Internacional de Gerenciamento de Resíduos Sólidos). Enquanto fazia o treinamento do Virapuru Training Center, já fui começando projetos paralelos na gestão dos resíduos do nosso município. Hoje posso dizer que sei o que e como fazer”. Conta o ex-prefeito.

Um desses projetos integrados de Dália, assiste famílias carentes, incentiva pequenos produtores, e promove a conscientização através da educação ambiental. Formando um ciclo sustentável que mobiliza tanto a estrutura pública, como toda a sociedade.

Como funciona o projeto de gestão integrada do ex-prefeito Paulo Dália

  • A prefeitura incentiva a agricultura familiar comprando produtos dos pequenos produtores rurais;
  • Estes alimentos são repassados para famílias carentes, em troca de materiais recicláveis;
  • Estimulando a separação dos recicláveis, promove educação ambiental prática com alunos da rede pública e famílias de baixa renda;
  • Os materiais recicláveis, coletados neste programa, são doados para cooperativa de catadores;
  • A cooperativa vende para indústria, devolvendo estes resíduos ao ciclo produtivo, agregando renda e gerando empregos;
  • Uma vez de volta à indústria, o material reciclável deixa de ser agente poluente, para se tornar um produto sustentável.

Através da gestão sustentável, Dália descobriu que o lixo gerenciado corretamente, promove dignidade desencadeando ações e reações positivas.

“A partir do curso com o Gleysson, eu desenvolvi a vontade de fazer mais cursos. Que foi outra mudança na minha vida.

Eu não acreditava no ensino a distância. Com a metodologia do Glaysson, eu vi que a gente aprende sim. Realmente você consegue absorver, você consegue aprender ”, garante Paulo Dália.

“O Virapuru me deu um novo olhar na área de resíduos. Posso dizer que é um mercado
gigantesco, é um mercado que precisa realmente ser explorado, que tem um potencial enorme. Eu digo que o potencial dos resíduos sólidos é maior inclusive do que o da construção civil.

Se a gente analisar desde a forma que precisa ser feito, ele abre muitos caminhos , são muitas oportunidades de negócio. Eu vejo nos resíduos sólidos uma oportunidade de trabalho. O mercado de Resíduos, é uma oportunidade muito interessante para o Brasil neste momento de pandemia, com tanto desemprego.

Claro, a gente precisa cuidar não só dos resíduos, mas de todo saneamento básico: água, esgoto, drenagem. Isto é importantíssimo para as cidades. Porém, fazer gestão integrada de resíduos, é criar oportunidades para que a gente possa atravessar esse momento tão difícil.

Esta é a visão sobre resíduos sólidos, que passei a ter a partir dos treinamentos do Virapuru Training Center”. Esclarece Paulo.

Sabendo o que fazer com o lixo, Paulo agrupou novos municípios no projeto de gestão sustentável. Desenvolveu soluções para seu município e municípios vizinhos.
Durante seus dois mandatos consecutivos, 2012 a 2020, provou que com conhecimento e boa vontade, sonhar é transformar a realidade.

Dália, mudou as perspectivas de crescimento humano e econômico de sua cidade e de outros municípios. Um exemplo real de que transformar problemas em desenvolvimento sustentável é possível sim! Paulo Dália Teixeira é um Cometa da Sustentabilidade!

Quem pode ser um empreendedor da sustentabilidade e ganhar dinheiro salvando o planeta?

Assim como o ex-prefeito Paulo Dália, você pode ser um agente transformador de realidades sociais e ambientais.

Como você acompanhou, mesmo sendo engenheiro civil, Paulo Dália teve que buscar conhecimento para construir projetos sustentáveis. Um dos fatores que o fizeram investir em capacitação foi a falta de profissionais na área.

O mercado de recicláveis precisa de empreendedores e consultores que apontem soluções e transformem lixo em empregos, renda e dignidade! Esta alquimia você alcança com as informações certas que realmente te farão um profissional do setor de resíduos sólidos.

Ao se tornar um profissional na área de resíduos sólidos, você vai trabalhar com um mercado sustentável e muito lucrativo. Além de contribuir com o meio ambiente ganhando dinheiro.

No Virapuru Training Center, você encontra treinamentos para desenvolver as potenciais competências e alcançar sucesso no seu negócio com recicláveis. Se tornando um cometa da sustentabilidade.

Paulo Dália, é hoje, autoridade na gestão de resíduos sólidos e soluções sustentáveis e cometa da sustentabilidade

Quer saber mais? Assista a entrevista completa aqui:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Deixe um comentário

Mais Virapuru