Como trabalhar na área ambiental em tempos de COVID?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Covid: trabalhar em tempos de pandemia com sustentabilidade

Como a pandemia influenciou no setor ambiental? Uma empresa pode adotar a sustentabilidade e reduzir prejuízos em tempos de COVID19?  Como trabalhar no setor ambiental em tempos de coronavírus?

Com o advento da pandemia do COVID19, muita coisa mudou. Com lockdown por toda parte, as pessoas passaram a trabalhar em casa (home office). Estudantes de escolas e faculdades presenciais, hoje assistem aulas à distância.  Essas e outras medidas foram adotadas na tentativa de diminuir a circulação e propagação do covid.

Estas novas formas de viver, aprender e produzir também ocasionaram o fechamento de empresas, indústrias e diversos segmentos do comércio. Assim, aumento alarmante de pessoas em busca de emprego é a prova da crise econômica que o mundo enfrenta. 

A redução da emissão de carbono e outros gases poluentes é um dos poucos aspectos  positivos da pandemia. No entanto, o aumento de resíduos sólidos urbanos (RSU), é contrastante. Segundo a ABRELPE – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, representante da Associação Internacional de Resíduos Sólidos no Brasil, até agosto de 2020, a produção de resíduos aumentou 30%. 

Assim sendo, a prestação dos serviços de limpeza urbana não pode ser interrompida. Fundamental para a proteção do meio ambiente e da saúde humana, é indispensável garantir que tais serviços sejam diariamente executados. A ABRELPE, diz ainda que a gestão e gerenciamento dos resíduos contribuem para auxiliar na prevenção da transmissão do covid. Assim como reduz a proliferação de outras doenças e endemias decorrentes de acúmulo e má gestão dos resíduos. 

O setor ambiental é fundamental para proteger o meio ambiente e reduzir a proliferação de endemias. Mesmo na pandemia não pode parar. Talvez por isso, seja um dos poucos segmentos que cresceram e se fortaleceram mesmo nesses tempos incertos de pandemia. 

 

Como a pandemia influenciou no setor ambiental?

Embora o covid19 tenha trazido muitas perdas e dor, serviu também para chacoalhar a sociedade em todos os sentidos. Ficou óbvia a  importância do gerenciamento de resíduos sólidos em todos os setores.  

Inclusive, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) lançou um relatório para orientar ações de gestão de resíduos neste período de pandemia. Este documento traz recomendações para garantir a proteção da saúde pública e dos trabalhadores. 

De acordo com o relatório, os serviços de limpeza urbana devem ser intensificados nesse período. Ou seja, o ideal é que seja feita a limpeza frequente para evitar o espalhamento de contaminantes. 

Infectologistas ressaltam que pessoas que estejam doentes ou com suspeita de infecção pelo vírus, mantenham um cuidado ainda maior no descarte dos resíduos.  Como, por exemplo, ter uma lixeira de uso exclusivo para a pessoa contaminada, usar sacos de lixo reforçados, vedados e com indicação de material passivo de contaminação. 

Você também pode adotar medidas para instruir e proteger os trabalhadores do setor de coleta. Caso encontre catadores de material reciclável próximos à sua moradia, pode dar informações sobre cuidados ao manusear os resíduos e fornecer luvas e materiais de higiene para que eles possam se prevenir.

Separar o lixo doméstico, sinalizar se está contaminado ou não, fornecer informação e materiais de higiene para catadores, são medidas que ajudam a conter a propagação do covid19. 

 

De que forma uma empresa pode adotar a sustentabilidade e reduzir prejuízos em tempos de COVID19?

Sem dúvidas, nesse momento de crise econômica causada pela pandemia do vírus da covid, reduzir desperdícios é uma forma de economia para as empresas. Assim, o gerenciamento de resíduos sólidos é um caminho que não só pode, como deve ser adotado. Afinal, a lei 12305/2010, determina que os grandes geradores, no caso empresas e indústrias, devem estabelecer planos de gerenciamento para seus resíduos. 

Este momento é ideal para as empresas entenderem que cuidar do meio ambiente significa  inovar e crescer com sustentabilidade. Na Europa por exemplo, a “retomada verde”, faz parte da estratégia de governos, empresários e economistas para alavancar a economia no pós-pandemia causado pela covid. 

Este conceito, “retomada verde” consiste na união da economia e o meio ambiente que ganhou muita força com a pandemia do novo coronavírus. Já que as economias mundiais vão precisar se reorganizar , por que não fazer isso tornando as cidades mais preparadas para enfrentar as mudanças climáticas e reduzindo desigualdades? É disso que se trata a Retomada Verde.

Ou seja, no setor econômico, a estratégia de economia circular, é definitivamente a tendência mundial para o pós-covid. Assim uma lista de Rs na nova ordem de crescimento econômico:  

  • Retomar;
  • Recomeçar; 
  • Repensar;
  • Reutilizar;
  • Reaproveitar;
  • Reciclar. 

Para definir qual o melhor plano de gerenciamento dos resíduos e reorganizar os meios de descartes reduzindo prejuízos, opte pelo sustentável. Com a estratégia correta de  gerenciamento pode-se reduzir consideravelmente os gastos com energia, por exemplo, e gerar novos negócios. Afinal, com certeza é o melhor caminho para um recomeço coerente. 

 O Gerenciamento de Resíduos Sólidos atua em diversas áreas, entre elas:

Venha saber mais sobre este e outros assuntos. Participe da nossa live, assista nossos vídeos, inscreva-se no nosso canal  e seja bem vindo ao universo da sustentabilidade!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Deixe um comentário

Mais Virapuru